quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Caras...olhares


Cabeça de João Baptista (séc. XVIII), no Museu do Mosteiro de Lorvão

Minha terra…

Pinturas e esculturas bem retratadas
Com muito carinho e sabedoria
Em madeiras bem trabalhadas
Um rosto onde se sente a agonia

Leva a sua cruz pelo mundo fora
Num compasso bem comedido
Dá-nos sinais de hora a hora
E por vezes não é bem sucedido

João Baptista ali dormindo
Com visão do outro mundo
Poder-se-á dizer que esta sorrindo
Pelos pecados do defundo

2 comentários:

  1. Gostei do poema e da escultura
    Abraço

    ResponderExcluir
  2. Olá amigo!

    Linda postagem.....Agradeço o carinho da sua visita.

    BOM FDS......Beijos!

    ResponderExcluir