sábado, 2 de outubro de 2010

Um livro é um livro.


“Os Meus, os Teus e os Nossos”

[José Gameiro]

Hoje sim hoje, foi-me oferecido este livro que pela sua foram de escrita e pela oferta em si me tocou de uma forma especial, afinal enquadro-me como se fosse uma personagem do próprio livro. “Quero dizer tudo me toca” fez-me recordar um filme;”Rosa púrpura do Cairodo Woody Allen, em que de espectador passa a personagem do próprio filme.

Como o autor diz a determinado momento: “A criação de uma nova família é sempre precedida da existência de uma ou duas famílias nucleares, de onde provêm os elementos que irão formar uma família.”…

Avanço parágrafo após outro e lá encontro mais uma frase que passo a transcrever: “Não há divórcios felizes para os filhos do casal.”

Não vos vou maçar com mais transcrições, afinal o livro está ai nas bancas.

Um livro é um livro e este pela sua simplicidade de abordagem, pode-se ler numa viagem de autocarro do Lumiar ao Rossio.

Cada vez mais existem famílias que se enquadram dentro deste livro, aconselho, pela sua forma simples de olhar os problemas que afinal nos toca e a eles [filhos] também.

Por tudo isto agradeço a minha mulher por esta oferta.

Um beijo

Nenhum comentário:

Postar um comentário